TRÁFEGO: CAMPANHAS LUCRATIVAS

Tráfego

Você possui o conhecimento necessário para criar campanhas lucrativas através do seu Funil de Vendas

Se a sua resposta foi “não”, então sugiro ler este artigo até o final.

Podemos dizer que o tráfego é o motor de crescimento do seu negócio digital

Porém, mesmo sendo algo essencial para o seu negócio dar bons resultados, adiantamos que não é nada complexo ou difícil de entender, mas você precisará compreender alguns conceitos básicos antes de pôr a mão na massa.

Hoje vamos ensinar algumas particularidades sobre tráfego para um melhor funcionamento do seu Funil de Vendas.

No entanto, se você ainda não tem uma ideia clara sobre tráfego, vamos trazer alguns conceitos essenciais que facilitarão seu entendimento.

O QUE É TRÁFEGO NO MARKETING DIGITAL?

O tráfego de pessoas na sua página de vendas, na sua página de captura, ou nas suas redes sociais, é um fator que influencia fortemente nas vendas de um produto ou serviço no meio digital. 

Podemos dizer que sem audiência, nenhum negócio digital pode caminhar em direção ao sucesso. Imagine ter uma página e ninguém visitá-la? Não vai adiantar muita coisa, não é mesmo?

Afinal de contas, sem visitantes em suas páginas, não há leads, engajamento ou conversão, itens essenciais para um negócio na internet dar certo. A ausência de visitantes nos seus canais é como colocar uma vitrine em uma rua onde não passa ninguém.

Tráfego é como chamamos todo o alcance, visitas e visualizações que você recebe em suas páginas, sites, redes sociais, blogs e afins. É uma métrica baseada nos acessos que o seu conteúdo recebe.

Resumindo, o tráfego pode ser definido como o fluxo de visitantes nas suas páginas e redes sociais.

Ao trabalhar com marketing digital, seu objetivo deve ser garantir a visibilidade do seu produto ou serviço no mercado online, pois se os clientes não encontram o seu produto, as vendas não acontecem.

Existem diversas fontes e estratégias para conseguir um bom fluxo de visitas nos seus canais. O Google, por exemplo, é uma grande fonte para sites por meio do seu sistema de buscas. Assim com o Facebook, que não é um sistema de buscas, mas que tem a atenção de milhões de usuários pelo mundo, e que permite criar anúncios que tornam seu produto visível para milhares de usuários, através do gerenciador de anúncios do Facebook ADS.

O TRÁFEGO ORGÂNICO E GRATUITO

É considerado como tráfego orgânico todo o alcance que você consegue sem o impulsionamento pago de suas publicações.

Por isso, seja compartilhando conhecimento, contando histórias, criando valor, educando e até mesmo entretendo, cada peça do conteúdo que você cria deve ser uma parte da sua marca e uma forma de aproximar e engajar o seu público e te ajudar a ser encontrado nas buscas.

Quando se alcança valores elevados de tráfego orgânico, isso indica que a sua empresa é conhecida ou gera conteúdo que interessa ao público sobre determinado assunto. Isso é o que chamamos de autoridade, o que é ótimo para a imagem do seu negócio e rankeamento nos sistemas de busca.

Essa é a modalidade em que você é encontrado pelo seu público. Nesse processo, a partir de conteúdos relevantes, interessantes e otimizados para os motores de busca, as pessoas que tem interesse no seu negócio acessam a sua página.

Para isso, é fundamental aplicar técnicas de SEO (Search Engine Optimization) a fim de alcançar um bom nível de ranqueamento. Assim, quando uma pessoa faz uma pesquisa em plataformas como Google, Yahoo, Bing etc., a ideia é que a sua página esteja entre as primeiras posições dos resultados.

TRÁFEGO PAGO

Nessa modalidade você precisa pagar para que os visitantes cheguem até as páginas da sua empresa ou da empresa que você divulga. O que é feito por meio de segmentação de público e anúncios com palavras-chave escolhidas por você.

O investimento em mídia paga pode impulsionar os conteúdos produzidos por você e ampliar o alcance desses materiais, divulgar o seu site, ofertar uma promoção, disponibilizar suas recompensas digitais e diversas outras possibilidades interessantes para o seu negócio.

PÚBLICOS PARA QUEM ANUNCIAR

Vamos começar falando da estrutura de públicos que é usada para criar anúncios. Então leia este conteúdo com bastante atenção, pois ele é de suma importância para uma boa gestão de tráfego.

É necessário entender os conceitos de públicos se você quiser gerar mais resultados para o seu negócio.

Primeiro você precisa saber que existem 3 tipos de público. São eles: frio, morno e quente. Veja a seguir cada um deles de maneira mais detalhada.

PÚBLICO FRIO

São pessoas que não conhecem você e nem conhecem a sua marca. Ou seja, é um público formado por completos desconhecidos.

Logo, perante esse público, a sua meta é tornar-se conhecido.

É possível fazer grandes escalas quando conseguimos transformar um público frio em clientes.

Portanto, o que gera maior resultado para seu negócio a longo prazo é transformar esse público frio em clientes. Porém, isso só será possível através da utilização de um processo de vendas correto, que por sua vez só é possível através de um Funil de Vendas bem estruturado.

Inicialmente, se suas redes já possuírem um bom engajamento, o ideal é transformar público morno em clientes. E depois, focar em transformar público frio em clientes, pois esse público precisa de um convencimento maior.

Usar um público frio logo de cara, torna-se mais fácil onde o nível de consciência do público é muito alto. 

Nesse caso, mesmo que o público não conheça você e a sua marca, ele já conhece a solução para o problema que ele está enfrentando. 

Então sua missão será menos difícil, pois sua meta será convencer as pessoas de que você tem a melhor solução para resolver o problema delas.

Podemos dizer que o público frio:

  • São os potenciais clientes do seu negócio;
  • Se você tem um novo negócio é com esse público que você deve começar;
  • Além disso, mesmo que você já tenha uma base de clientes e visitantes nos seus canais, você precisa desenvolver estratégias de público frio com intuito de alimentar seu sistema de vendas.

Veja abaixo metas para o público frio:

  • Sua meta principal é se tornar conhecido no mercado;
  • Usar um pixel para construir públicos com pessoas que engajaram com os seus conteúdos;
  • Criar públicos diferentes, segmentando pessoas interessadas em assuntos diversos do seu nicho, combinando seus interesses e fazendo ofertas relacionadas.

PÚBLICO MORNO

Esse público é formado por pessoas que já tiveram o primeiro contato com você, que já te conhecem ou que já baixaram um conteúdo criado por você.

A primeira meta é aquecer esse público e fazer sua primeira venda.

Geralmente é nesse público que iremos fazer o maior investimento em tráfego.

Porém, se você não tem público morno, irá primeiro aquecer o público frio, transformá-lo em público morno e depois trazer para sua lista.

O público morno pode ser formado por:

  • Leads que fizeram opt-in na sua lista;
  • Pessoas que visitaram o seu site e você marcou elas no pixel;
  • Seguidores do Youtube, fãs do Facebook, fãs do Instagram; membros do grupo do Telegram; lista no Many Chat et cetera.

Ou seja, o público morno é qualquer público que conhece você ou já entrou em contato com você ou com sua marca.

Fique por dentro: O que é opt-in?

Opt-in é uma abordagem do Inbound Marketing em que um profissional de marketing digital solicita a permissão de um cliente em potencial para enviar determinado tipo e conteúdo sobre uma marca. Também é conhecido como marketing de permissão e pode ser opt-in único ou double opt-in.

O envio de várias mensagens não solicitadas ao email de um possível cliente pode prejudicar a reputação e a imagem de uma empresa. Mas, ao contrário das estratégias de outbound marketing (marketing tradicional), em que os profissionais anunciam para o mercado como um todo, o opt-in é uma abordagem mais direcionada, eficaz e ética. No marketing de permissão, os clientes em potencial autorizam o recebimento de conteúdos como publicidade, boletins informativos, ofertas e assim por diante.

A boa notícia é que o opt-in pode beneficiar o marketing de uma empresa de várias maneiras. Com essa estratégia é possível criar uma base de cadastros de maneira fácil e rápida. O opt-in, especificamente o opt-in único, ajuda os profissionais de marketing a criar grandes listas de e-mails rapidamente. O opt-in único é um processo de uma etapa e os clientes em potencial podem se registrar até mesmo em sites de terceiros.

Por outro lado, o double opt-in é quando um usuário se inscreve para receber um e-mail marketing e logo em seguida um e-mail automático com um link é enviado ao assinante para confirmar a assinatura. Este e-mail geralmente requer que o usuário clique no link para confirmar que ele é o proprietário do endereço e aceitou entrar na lista de endereçamento.

Veja a seguir as metas para o tráfego morno:

  • Transformar visitantes em leads;
  • Transformar os leads em clientes de produtos de baixo valor;
  • Manter o público interessado no seu produto.

Geralmente torna-se mais fácil vender para esse público, pois eles já conhecem você. E o ideal é oferecer para esse público produtos de entrada, com ticket mais baixo, de até R$ 97,00. 

Recomendamos que você inicie oferecendo produtos de ticket mais baixo para os membros de sua lista de e-mail e só depois oferecer produtos de valor maior. 

PÚBLICO QUENTE

São pessoas que já são clientes, ou que fazem parte da sua lista ou que compraram seu produto de entrada. Ou também pode ser formado por pessoas com alto nível de consciência em relação ao seu produto e estão prontas para a compra, e já baixaram mais de dois conteúdos seus.

Resumindo, são pessoas que já são seus clientes ou que acompanham fervorosamente seus conteúdos e estão apenas aguardando uma oferta irresistível para comprar de você.

Aqui a meta principal é aumentar a frequência de compra ou fazer com que se torne seu cliente.

Metas para o tráfego quente:

  • Vender produtos de tickets altos;
  • Ativação: lembrar clientes que compraram há algum tempo que você ainda existe;
  • Oferecer um produto diferente daquele que eles compraram inicialmente.

Seu objetivo é vender mais vezes para esse público. E isso será bem mais fácil se essas pessoas estiverem acompanhando suas lives, seus webinários, seus lançamentos, seu canal no Youtube et cetera.

Por isso produzir excelente conteúdo nos seus canais, com frequência, fará toda a diferença nos seus resultados a longo prazo.

Perceba que esses três públicos juntos formam um funil, pois o volume de pessoas vai diminuindo à medida que o público passa de público frio para morno até chegar ao público quente.

Em relação a maneira como iremos administrar os recursos financeiros, você precisa entender que, ao fazer anúncios, a estratégia é realizar um maior investimento de baixo para cima do funil.

Ou seja, iremos primeiro investir o máximo no público quente até atingir o custo máximo por clique que definirmos como aceitável.

Então, por exemplo, se você planejou gastar R$ 100,00 por dia com seus anúncios, priorize gastar mais dinheiro com aquele público quente. Ou seja, você vai fazer um investimento mais pesado anunciando para as pessoas que acompanham você, que já compraram de você ou que já estão prontas para comprar de você.

Quando o custo por clique aumentar e topar no limite estipulado por você,  aí chegou a hora de investir no público morno, e a ideia é gastar verba com esse público até o CPA (custo por ação) não valer mais a pena e chegar a hora investir em público frio.

3 TIPOS DE TRÁFEGO

Veja abaixo os 3 tipos de tráfego com os quais você poderá trabalhar:

  1. Tráfego que eu controlo: aqui estão as fontes de tráfego pago, você paga ferramentas para levar pessoas para ver a sua oferta. Nesse tipo de tráfego você compra um anúncio e determina quando ele vai iniciar e quando vai parar de ser exibido. Logo, a qualquer momento, é possível investir uma verba para se tornar visível a possíveis clientes do meu produto. Aqui é preciso gastar para aparecer. Exemplo: Facebook ADS, Youtube Advertising, Google ADS, Taboola, Outbrain et cetera.
  1. Tráfego que eu não controlo: é quando eu não consigo pagar para levar pessoas para lá; aqui você não tem controle em relação à visualização de seus anúncios e conteúdos. São exemplos: busca orgânica no site, visitas orgânicas nas redes sociais, qualquer menção ou indicação de uma pessoa no meu perfil, SEO et cetera.
  1. Tráfego proprietário: aqui estão as minhas listas, nelas eu posso organicamente controlar o que e quando eu vou mandar para as pessoas e não vou pagar nada para fazer isso. Por exemplo: lista de e-mails, lista do Telegram, lista de Whatsapp, lista de Many Chat et cetera. 

O que você precisa entender é que o seu objetivo é transformar todos os tipos de tráfego em tráfego proprietário.

Perceba que se você gastar dinheiro com um anúncio e não conseguir trazer pessoas para sua lista, você estará perdendo dinheiro.

Porém, se você gasta com um anúncio e consegue trazer pessoas para sua lista, aí você poderá fazer quantas ofertas quiser para essas pessoas. Isso irá gerar retorno sobre investimento.

Então a meta é levar todas as pessoas que tiverem contato com seus canais para suas listas. E você consegue fazer isso através de recompensas, através de formulários disponibilizados no seu blog, através webinários et cetera.

Resumindo, seu objetivo é transformar todos os tipos de tráfego em tráfego proprietário. E como consequência você terá captado leads e poderá gerar tráfego sem custo a qualquer momento.

Espero que o artigo de hoje tenha sido esclarecedor pra você e que contribua para a gestão de tráfego do seu negócio digital.

E não esqueça de compartilhar esse conteúdo com um amigo que precisa saber mais sobre esse assunto.

Até a próxima e grande abraço!

Gostou? Compartilhe

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *